Bate-boca na CCJ mostra que tédio o povo não vai morrer [vídeo]

O distinto público pode até padecer de covid, mas, “eu agarantio”, de tédio jamais! Vide o bate-boca nesta quarta-feira (17/3) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), presidida pela deputada Bia Kicis (PSL-DF).

O entrevero começou quando o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) chamou o presidente Jair Bolsonaro de “genocida”, em virtude da mortandade no país.

“Sobre o que me antecedeu, ele defende um genocida. Esse presidente é genocida. Porque todos os atos que ele cometeu, foi um projeto de matar pessoas. Hoje nós estamos chegando a 280 mil pessoas mortas por atos do presidente da República […] Ele é um genocida, e quem o defende comunga dos seus atos e palavras”, disparou o petista, referindo-se ao deputado Felipe Barros (PSL-PR).

O deputado Carlos Jordy (PSL-RJ) saiu em socorro do presidente Jair Bolsonaro xingando de “vagabundo” o deputado Paulo Teixeira.

“Presidente [Bia Kicis, que comanda a CCJ], eu não vou aturar esse tipo de comportamento. Se ele é um genocida, você é um vagabundo. Vai baixar o nível? É um vagabundo. Eu não vou aturar isso aqui não. Cúmplice de vagabundo, de ladrão. Seu partido roubou a República. Você é um cúmplice de vagabundo, de corrupto. Partido de traficantes. Bando de vagabundos. Você não tem moral”.

A presidenta Bia Kicis, fugindo ao figurino tradicional, de bolsonarista, agiu como bombeira. Ela encerrou a sessão e convocou outra para as 9 horas desta quinta-feira (18/3). Ambos os contendores –Teixeira e Jordy– já confirmaram presença.

Como eu disse no título desta matéria, você pode até morrer de covid, mas jamais de tédio!

Assista ao vídeo:

LEIA TAMBÉM
PSOL pede convocação de Ernesto Araújo para explicar pressão dos EUA contra vacina russa Sputnik V

Deputados derrubam veto e permitem perdão a dívidas de igrejas

Ricardo Barros diz que situação “é até confortável” mesmo com 282 mil mortes

Aqui tem a sessão da CJJ completa [vídeo]