A Venezuela vacina enquanto Paulo Guedes aposta no Viagra

O ministro da Economia, Paulo Guedes, sem repertório, voltou a trucar em cima da Venezuela nesta terça-feira (2) para explicar seu fracasso desde o início do governo.

Guedes disse que Brasil pode virar a Argentina em seis meses e a Venezuela em um ano e meio.

“Para virar a Argentina, seis meses; para virar Venezuela, um ano e meio. Se fizer errado, vai rápido. Agora, quer virar Alemanha, Estados Unidos? [São necessários] dez, quinze anos na outra direção”, afirmou em entrevista ao Primocast. Ele ainda disse que é demissível em 30 segundos.

O diabo é que a Venezuela segue vacinando e a Argentina também enquanto o Brasil sofre para adquirir vacinas devido ao negacionismo do presidente Jair Bolsonaro e do governo.

Além das doses da Sputnik V, recebidas no dia 13 de fevereiro, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que 500 mil doses da vacina contra coronavírus da chinesa Sinopharm chegaram ao país sul-americano, na noite passada, assim como material de proteção para profissionais de saúde.

Resumo da ópera: a Venezuela vacina enquanto Guedes aposta no Viagra, segundo as redes sociais.