STF pode barrar Bia Kics na CCJ da Câmara

A deputada Bia Kics (PSL_DF) pode ter seu momento de “Viúva Porcina” na Câmara, pois o Supremo Tribunal Federal (STF) pode barrá-la na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça).

A deputada já defendeu o impeachment de ministros do STF como Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes, além de ter uma postura negacionista sobre a pandemia.

Bia Kics também esteve na linha de frente de manifestações antidemocráticas a favor do fechamento do Supremo e do Congresso Nacional.

A parlamentar de extrema direita é uma das investigadas no inquérito das fake news pelo STF.

De acordo com juristas e congressistas, Bia Kics não pode assumir a CCJ da Câmara porque ela –em diversos momentos– atentou contra a Constituição Federal. ‘O cargo é incongruente com a postura da deputada’, dizem.

Os ministros do STF afirmam que a indicação da deputada do DF, se confirmada, “desmoralizaria” os trabalhos da CCJ na Câmara que cuida exatamente da legalidade de propostas, como emendas constitucionais.

“Não acredito que o STF esteja por traz [sic] dessa campanha suja p/ me impedir de assumir a CCJ, até pq os ministros da Corte conhecem o princípio da independência e harmonia entre os Poderes”, escreveu no Twitter Bia Kics. “Parece mais uma jogada de grupos de interesse a quem minha atuação incomoda”, completou.

Pela repercussão negativa de sua indicação na Congresso e no Supremo, muito provavelmente, Bia Kics pode ter seu momento de “Viúva Porcina” na política brasileira.

Moral da hsitória: aqui se faz, aqui se paga.