PT reage ao golpe na Câmara após eleição de Arthur Lira

Maior bancada na Câmara com 53 deputados, o PT foi alvo de um golpe por ato político do deputado Arthur Lira (PP-AL), eleito na noite desta segunda-feira (1º) presidente da Câmara. Numa canetada, o novo presidente quis anular a oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro na Casa.

Pelo sistema de proporcionalidade dos blocos formados para disputar a eleição de ontem, caberia ao PT a Primeira Secretaria da Câmara para a deputada Marília Arraes (PT-PE).

O novo presidente da Câmara, assim que se sentou na cadeira, anulou decisão do ex-presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ), que havia autorizado dentro da legalidade a formação de bloco de partidos [PT, MDB, PSB, PSDB, PDT, Solidariedade, PCdoB, Cidadania, PV e Rede].

“Precisamos ir pra ofensiva política. Primeiro ato de Artur Lira foi dar um golpe na oposição para mandar na mesa da Câmara. Violência contra a democracia. Mostrou que será um ditador a serviço de Bolsonaro”, protestou o deputado Hélder Salomão (PT-ES).

Segundo o deputado capixaba, todas as informações eram de que o sistema estava travado na hora do registro. “Precisamos esclarecer isso e não ficar na defensiva. Essa vai ser a direção da Casa, para anular a oposição, principalmente o PT”, completou.

O líder do PT na Câmara, Enio Verri (PT-PR), disse que a impugnação da candidatura do bloco que lhe fez oposição, prejudicando a divisão proporcional dos cargos da Mesa Diretora, joga por terra todo o discurso democrático que Lira usou durante sua campanha.

Para a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidenta nacional do PT, a atitude de Arthur Lira foi uma violência contra a democracia. “Mostrou que será um ditador a serviço do presidente Jair Bolsonaro”, previu.

Sem o PT, de seis cargos na Mesa Diretora, o bloco de Baleia Rossi (MDB-SP) chamaria a última vaga.

O presidente da Câmara convocou sessão para hoje, às 16h, para nova eleição para os cargos na 1ª e 2ª vices-presidências, 1ª, 2ª, 3ª e 4ª secretarias. O Blog do Esmael vai transmitir ao vivo.

O líder da Minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), informou que os partidos de oposição irão hoje ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o golpe dado por Lira.