Prisão de Daniel Silveira foi derrota do presidente Jair Bolsonaro

Compartilhe agora

O presidente Jair Bolsonaro foi o grande derrotado com a votação na Câmara, que confirmou nesta sexta-feira (19) a medida cautelar do Supremo Tribunal Federal, mantendo preso o deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ). O placar foi amplíssimo: 364 votos favoráveis à tranca, 130 contrários, 3 abstenções.

Houve no plenário uma unidade patética de bolsonaristas, que apelaram à Constituição e à liberdade de expressão –embora eles tenham sido eleitos atacando justamente a Carta Magna e a dialética, além de pedirem intervenção militar, AI-5, fechamento do Congresso e do STF, dentre outras idiotices.

Não foi somente o deputado Daniel Silveira que se acovardou ao pedir desculpas dezenas de vezes pelos erros cometidos. O presidente Jair Bolsonaro também se acovardou, bem como seus filhos, deixando um aliado de primeira hora queimar no fogo alto da Câmara. O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) até votou contra a prisão, mas não abriu a boca no plenário a favor do correligionário em apuros.

Aliás, Bolsonaro nunca defendeu publicamente um aliado encrencado por defendê-lo. Sara Winter e Oswaldo Eustáquio que o digam. Foram presos pelas estultices de Bolsonaro e não mereceram sequer um tuíte presidencial em solidariedade.

Bolsonaro também se silenciou em relação a Silveira, que se diz injustiçado por fazer linha com as mesmas bandeiras do inquilino do Palácio do Planalto.

Na Câmara, oposição e centrão votaram juntos contra o bolsonarismo e Bolsonaro –o grande derrotado desse “Carnaval”.

No mérito, confesso, não vi “flagrante delito” do deputado Daniel Silveira. Creio que faltaram os requisitos legais para a manutenção de sua prisão. Mas, como diz o ditado, passarinho que come pedra sabe o c** que tem. Ou seja, os parlamentares abriram novamente um precedente para que outros congressistas sejam presos da mesma forma.

O julgamento político da Câmara poder-se-ia ficar limitado na perda do mandato. A prisão é algo gravoso demais, até para uma besta bolsonarista.

Portanto, a votação na Câmara teve mais um sentido preventivo. Um alerta para Bolsonaro, bolsonaritas e militares: não aloprem!