Policiais e agentes penitenciários podem unificar greve com professores no Paraná

  • Agentes da segurança pública do Paraná lançam campanha conjunta e não descartam paralisação
  • Policiais civis, policiais militares e agentes penitenciários não descartam unificar uma virtual greve com os professores

Servidores das forças de segurança pública do Paraná estão unidos na luta pela valorização profissional e o pagamento da data-base. Com esse objetivo, na próxima quarta-feira (24), será lançada a UFS (União das Forças de Segurança do Paraná) para que possam trabalhar juntos em busca de avanços.

Policiais civis, policiais militares e agentes penitenciários não descartam unificar uma virtual greve com os professores. No próximo dia 1º de março, a educação básica paranaense vai deflagrar greve contra o retorno às aulas presenciais. Os trabalhadores do magistério alegam riscos sem vacinação e equipamentos nas escolas.

Já para a categoria da segurança pública, é inadmissível o abandono do governo Ratinho Júnior (PSD) e o descaso com a área de defesa e proteção. Os profissionais vislumbram até mesmo uma paralisação em conjunto com a educação.

Segundo as entidades representativas da segurança pública, os policiais estão doentes, trabalhando sob forte pressão, com falta de equipamentos e desmotivados.

Integram a União das Forças de Segurança do Paraná (UFS) 11 associações e sindicatos dos policiais civis, policiais militares e agentes penitenciários do Paraná: Adepol, Sinclapol, Sinpoapar, Sidepol, Amai, AVM, Assofepar, APML, SBSS, Sindarspen e Clube dos Oficiais.

SERVIÇO: Lançamento da UFS – União das Forças de Segurança Pública do Paraná
Data: 24 de fevereiro de 2021
Horário: 10 horas
Local: Sede da Adepol (R. Padre Agostinho, 850 – Mercês, Curitiba – PR)