Petroleiros do Paraná farão distribuição de gás ao preço de R$ 40 em protesto

Compartilhe agora

Trabalhadores petroleiros de Araucária (PR) ligados ao Sindipetro PR/SC distribuirão 250 botijões de gás de cozinha de 13 kg. O ato é um alerta sobre os prejuízos causados pela política de privatização da Petrobras. A distribuição será no sábado (06) como parte da mobilização nacional da categoria para denunciar o preço abusivo do gás de cozinha e dos combustíveis.

O valor cobrado será de R$ 40,00; bem mais em conta que a média praticada na região, que varia de 78 a 85 reais. Ação começa às 11h30, na Praça da Bíblia, em frente à Câmara de Vereadores, região central da cidade. O ato é um alerta sobre os prejuízos causados pela política de privatização da Petrobras.

Para o Sindipetro PR e SC é possível vender o gás de cozinha a custo de produção nacional, mantendo o lucro das distribuidoras, revendedoras, da Petrobrás e arrecadando impostos dos estados e municípios. Hoje o gás de cozinha, diesel e gasolina aumentam toda hora em razão do Preço de Paridade Internacional (PPI), seguindo a cotação do dólar e do preço barril do petróleo lá fora.

Atualmente a população brasileira é punida com aumentos sucessivos dos preços da gasolina, diesel e gás de cozinha. De acordo com o levantamento feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), entre julho de 2017 e janeiro de 2021, a Petrobrás aumentou em 59,67% o preço da gasolina nas refinarias.

O diesel sofreu reajustes de 42,64% e o GLP (gás de cozinha) subiu 130,79%. Já o preço do barril do petróleo acumulou reajustes de 15,40% neste mesmo período e a inflação medida pelo INPC (IBGE) ficou em 15,02%.

O Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (Ineep) também divulgou recentemente estudo em que aponta o Brasil como um dos países com preço diesel mais elevado entre os grandes consumidores do combustível, como Alemanha, Áustria, Dinamarca, EUA, França e Reino Unido.

O levantamento, feito a partir de outubro do ano passado, revela que a alta do diesel no Brasil só não foi maior do que a da Alemanha.

Na ação de sábado na Praça da Bíblia serão entregues 250 cargas de gás, um botijão por família, por R$ 40. Para retirada é necessária apresentação do casco vazio. O Sindicato acredita que uma outra política de preços é possível, com a intervenção do governo federal para barrar os aumentos sucessivos dos derivados de petróleo.

Durante ação serão tomados todos os cuidados em relação a pandemia. O uso de máscara é obrigatório, será disponibilizado álcool em gel e orientação no local para evitar aglomerações.

Com informações do Sindipetro PR/SC.