Lava Jato queria atingir Lula na cabeça, segundo novas mensagens vazadas

A defesa do ex-presidente Lula voltou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta sexta-feira (12), apresentando novas mensagens da Operação Spoofing que provam as ilegalidades cometidas pela operação Lava Jato.

Os procuradores discutem no aplicativo Telegram a necessidade de atingir Lula na cabeça para vencer as batalhas abertas.

Nos diálogos, os integrantes da falecida Lava Jato elegem como alvos, além de Lula, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) e o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Marcelo Navarro Ribeiro Dantas, que foi afastado da relatoria da força-tarefa no tribunal.

O ministro Félix Fischer foi quem assumiu a relatoria da Lava Jato no STJ e, sempre, votou alinhado com a extinta “República de Curitiba”, qual seja, de acordo com os interesses de procuradores e do ex-juiz Sergio Moro.

A defesa do ex-presidente Lula, representada pelo escritório de Cristiano Zanin Martins, transcreveu a mensagem da procuradora Carolina Rezende:

“Pessoal, fiquei pensando que precisamos definir melhor o escopo pra nós dos acordos que estão em negociação. Depois de ontem, precisamos atingir Lula na cabeça (prioridade número 1), pra nós da PGR, acho q o segundo alvo mais relevante seria Renan. Sei que vcs pediram a ODE [empreiteira Odebrecht] que o primeiro anexo fosse sobre embaraço das investigações. Achei excelente a ideia mas agora tenho minhas dúvidas se o tema é prioritário e se é oportuno nesse momento. Não temos como brigar com todos ao mesmo tempo. Se tentarmos atingir ministros do STF, por exemplo, eles se juntarao contra a LJ, não tenho dúvidas. Tá de bom tamanho, na minha visão, atingirmos nesse momento o min mais novo do STJ. acho que abrirmos mais uma frente contra o Judiciário pode ser over. Por outro lado, aqueles outros (lula e Renan) temas pra nós hj são essenciais p vencermos as batalhas já abertas”.

Para o advogado de Lula, a Lava Jato “atuava não apenas com o objetivo de devassar e produzir qualquer coisa” contra Lula, como ainda escondia “provas de sua inocência” do ex-presidente com o claro interesse de prejudicá-lo.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), disse que a nova petição da defesa de Lula apresenta ao STF fatos graves identificados nas mensagens da Spoofing.

“Ocultação de provas da inocência do Lula, MP orientando e combinando com a juíza Gabriela Hardt”, afirmou a dirigente petista, que ainda denuncia a “combinação para entregar provas e obter recursos da Petrobras com autoridades americanas”.

Veja a nova petição de Lula no STF:

Page 1 of PETIÇÃO E LAUDO arq unic