Lava Jato penalizada por estrago na economia, sugere estudo; Dallagnol e Moro podem ter bens bloqueados

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) finaliza um estudo sobre os impactos negativos da operação Lava Jato sobre a economia nacional. o respeitado órgão de pesquisa analisa números desde 2014, quando a força-tarefa comandada pelo procurador Deltan Dallagnol e o então juiz Sergio Moro entram em cena.

Segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT), que encomendou o estudo ao Dieese, membros do Ministério Público e do Judiciário, com apoio de veículos da imprensa corporativa, fizeram ataques a toda classe trabalhadora e à economia do país, abrindo espaço para a demolição de direitos sociais operada a partir do golpe de 2016.

“O estudo fala do crime enorme que a lava jato conduziu contra o Brasil, quebrando várias cadeias econômicas que contrariavam interesses dos Estados Unidos”, disse o vice-presidente nacional do CUT, Vagner Freitas.

Durante sua entrevista na semana passada ao portal Brasil 247, o ex-presidente Lula mencionou o levantamento do estrago que a Lava Jato provocou nos 7 anos de seu funcionamento na economia brasileira.

O PT e os sindicalistas da CUT lembram que, antes da Lava Jato, o país tinha empresas nacionais públicas e privadas que concorriam com as internacionais, principalmente nos setores de petróleo, gás e construção civil.

A tese é que o estudo do Dieese ajudará a classe trabalhadora a entender por que a restituição dos direitos políticos de Lula vai refazer uma parte da história brasileira que lhe foi retirada desde o golpe de 2016.

“Nunca tiveram o menor interesse de passar o Brasil a limpo nem de discutir a corrupção. Pelo contrário: se utilizaram de práticas corruptas e ilegais para apagar o Lula da memória do povo brasileiro”, diz o dirigente cutista.

Para Vagner Freitas, a prisão de Lula e sua retirada das eleições em 2018 criou essa aberração chamada Jair Bolsonaro, que é produto das elites brasileiras, da Globo e daqueles que trabalharam para criminalizar a política e dizer ao trabalhador que seu lugar não é disputando lugar na política, é vendendo barato a força de trabalho.

De posse do estudo do Dieese, os juristas ligados do PT buscarão meios para que a Lava Jato ressarça o erário e seja penalizado pelo estrago na economia popular.

Advogados petistas afirmam que um dos caminhos –a partir de sugestão do estudado do Dieese– seria pedir o bloqueio de bens e contas bancárias de Dallagnol e do ex-juiz Moro –no Brasil e no exterior.

É assim que está terminando o engodo da Lava Jato.