Lava Jato ajudou Bolsonaro a vencer em 2018, diz Gilmar Mendes

Em entrevista à BBC News Brasil, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse que a Operação Lava Jato ajudou Jair Bolsonaro (sem partido) a vencer as eleições presidenciais de 2018.

“Se nós olharmos, a Lava Jato tinha candidato e tinha programa no processo eleitoral. E atuou, inclusive, para perturbar o Brasil em termos institucionais”, afirmou Gilmar.

LEIA TAMBÉM
Brasil luta contra escassez de vacinas enquanto Bolsonaro continua de folga no Carnaval

França agora permite que funcionários almocem nas mesas de trabalho sem infringir as leis

Equador: Indígenas marcham rumo a Quito para denunciar fraudes na eleição presidencial

“Primeiro a Lava Jato atua na prisão do Lula. Prestes à eleição, a Lava Jato divulga o chamado depoimento ou delação do Palocci, tentando influenciar o processo eleitoral. Depois, o Moro vai para o governo Bolsonaro, portanto eles não só apoiaram como depois passam a integrar o governo Bolsonaro”, ressaltou o ministro.

Gilmar está em vias de liberar o julgamento da ação em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pede a anulação da sua condenação no caso do Tríplex do Guarujá. Na ação, a defesa do petista questiona a imparcialidade do então juiz Sergio Moro e cita como uma das provas disso o fato dele ter aceitado ser ministro da Justiça do governo Bolsonaro.

O julgamento do recurso de Lula teve início em dezembro de 2018 e foi interrompido por um pedido de vista de Gilmar Mendes. Na época, dois ministros chegaram a votar contra o pedido do ex-presidente: o relator Luiz Edson Fachin e Cármen Lúcia. Segundo Gilmar, o caso será liberado para votação neste semestre.