Defesa de Lula leva “tortura” da Lava Jato ao STF

A defesa de Lula aponta “tortura” de colaboradores para conseguir incriminar acusados na Lava Jato.

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, já havia dito que os procuradores atuavam como “torturadores” e a República de Curitiba funcionava como “esquadrão da morte”.

Em novos trechos vazados, procuradores discutiram pressionar Emílio Odebrecht porque ele era ‘delator muito ruim’ para os objetivos da força-tarefa.

O empreiteiro Emílio Odebrecht tirava do sério os procuradores da Operação Lava Jato porque ele era considerado um péssimo delator.

“Precisamos pressioná-lo, pq ele é mto. ruim colaborador”, disse um dos investigadores em diálogos hackeados e entregues pela defesa de Lula ao STF. “Estamos quase desistindo dele na ação do Lula”, concluiu.

As mensagens fazem parte do pacote apreendido pela Operação Spoofing, que a PGR trabalha para validar como prova lícita contra os procuradores.