Bolsonaro também lança edital para a privatização de parques nacionais

Um dia após anunciar privatização da Eletrobras, de portos, aeroportos e rodovias, o presidente Jair Bolsonaro também anunciou a concessão de parques nacionais. ‘Nem os cemitérios escaparão’ [da privatização], disse no início do governo o ministro da Economia, Paulo Guedes.

O Ministério do Meio Ambiente tornou público esta semana editais para iniciar estudos de concessão de parques federais. Segundo nota divulgada pela pasta, sete estudos serão realizados com a finalidade de viabilizar as concessões de oito parques nacionais.

Os levantamentos deverão propor modelos viáveis de uso econômico-financeiro, além de projetos de engenharia, arquitetura e planejamento operacional para os parques. As propostas vencedoras terão 120 dias para apresentar resultados.

Segundo o governo, o projeto é realizado em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e visa fomentar e ampliar o turismo nacional.

As unidades de conservação contempladas nos estudos são:

  • Parque Nacional de Lençóis Maranhenses (MA);
  • Parque Nacional de Jericoacoara (CE);
  • Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (MT);
  • Parque Nacional da Serra dos Órgãos (RJ);
  • Parque Nacional da Serra da Bodoquena (MS);
  • Parque Nacional de Ubajara (CE);
  • Parque Nacional de Brasília (DF); e
  • Floresta Nacional de Brasília (DF).

Em vídeo, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, comemora a entrega do estudo técnico para o Parque Nacional da Serra dos Órgãos – que também recebeu uma cadeira de montanhismo adaptada para pessoas com necessidades especiais. A cadeira, chamada Julietti, também estará disponível no Parque Nacional do Itatiaia (RJ). 

Segundo informa a pasta, a parceria com a Unesco prevê o lançamento de outros editais para novos estudos, que deverão ser lançados nas próximas semanas. Os editais podem ser consultados na íntegra no site da Unesco.