Bolsonaro diz que ‘alguma coisa vai acontecer na Petrobras’ nos próximos dias

Diante da saraivada de críticas que sofre por causa dos aumentos nos combustíveis, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (18) que ‘alguma coisa vai acontecer na Petrobras’ nos próximos dias.

O presidente discutia novo reajuste da estatal quando anunciou, sem detalhar, mudanças na Petrobras.

“Nesses dois meses nós vamos estudar uma maneira definitiva de buscar zerar o imposto para ajudar a contrabalancear esses aumentos, no meu entender excessivo, da Petrobras. Mas eu não posso interferir, nem iria interferir na Petrobras, se bem que alguma coisa vai acontecer na Petrobras nos próximos dias, você tem que mudar alguma coisa, vai acontecer”, disse Bolsonaro dura sua live semanal.

Somente neste início de 2021, os combustíveis já sofreram aumentos de 34% enquanto em um ano o salário mínimo foi reajustado apenas 5,26%, cujo índice não cobriu sequer a inflação do período.

A fala do presidente ocorreu devido as críticas do aumento desta quinta –10% na gasolina e 15% no diesel– em decorrência da variação do dólar e da cotação internacional do petróleo. Nesse cenário, os brasileiros ganham em real, mas abastecem e compra gás de cozinha, por exemplo, em moeda americana.

“Teve um aumento, no meu entender, aqui, eu vou criticar, um aumento fora da curva da Petrobras. 10% hoje na gasolina e 15% no diesel. É o quarto reajuste do ano. A bronca vem sempre para cima de mim, só que a Petrobras tem autonomia”, escusou-se Bolsonaro, indicando que esse negócio de “autonomia” [lembra do Banco Central?] nunca é um bom negócio para o País.

Equivocadamente, Bolsonaro acredita que zerando impostos os especuladores que tomaram conta da Petrobras se contentarão.

“Nesses dois meses nós vamos estudar uma maneira definitiva de buscar zerar o imposto para ajudar a contrabalancear esses aumentos, no meu entender excessivo, da Petrobras. Mas eu não posso interferir, nem iria interferir na Petrobras, se bem que alguma coisa vai acontecer na Petrobras nos próximos dias, você tem que mudar alguma coisa, vai acontecer”, ilude-se o presidente.

O presidente Jair Bolsonaro só tem uma saída: chutar a bunda de Paulo Guedes, o ministro dos bancos, e assumir de fato o governo do Brasil. Caso contrário, ele continuará com a enganação para favorecer os especuladores contrários aos interesses nacionais e a economia popular.

Mas cuidado para não se frustrar com a sinalização de Bolsonaro. Em outros momentos, também sobre combustíveis, ele já foi desmentido por Guedes, o preposto dos bancos e dos especuladores.