Agora vai! Fernando Collor de Mello vira conselheiro econômico de Jair Bolsonaro

Compartilhe agora

Jesus, me abana. O ex-presidente Fernando Collor de Mello, atual senador do PROS por Alagoas, virou o principal conselheiro econômico do presidente Jair Bolsonaro.

De economia Collor nada entende, mas é perito em impeachment. Em 1992, o ex-presidente foi o primeiro mandatário a ser cassado pelo Congresso Nacional.

Na época, há 28 anos, o governo confiscou a poupança e levou milhares de brasileiros à falência absoluta.

Pois bem, Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (09/02) que convidou o ex-presidente colorido para participar de uma reunião com a equipe econômica. O objetivo seria Collor de Mello dar sugestões de como reduzir o impacto do reajuste dos combustíveis, anunciado ontem pela Petrobras.

O preço da gasolina disparou, em média, 8,1% (ou R$ 0,17) passando para R$ 2,25 por litro. O diesel terá alta de 5,1% (R$ 0,11), indo a R$ 2,24 por litro. Já o GLP (gás liquefeito de petróleo) sobe 5,05% (R$ 1,81 por botijão).

“Hoje, estávamos reunidos com a equipe econômica do Paulo Guedes, vendo a questão do impacto desse novo reajuste do combustível, que não podemos interferir e não pensamos em interferir [na Petrobras], e apareceu o senhor Fernando Collor e o convidamos para a reunião”, começou Bolsonaro. “Ele participou de grande parte da mesma e nos deu sugestões, sugestões bem-vindas e acolhidas por nós. Dessa forma, vamos governando”.

Moral da história: quando você acha que o Brasil já chegou no fim do poço, descobre que ainda está longe.