Petrobras à venda, aos pedaços, a preço de banana numa criminosa farra

Compartilhe agora

A Petrobras comunicou nesta terça-feira (19) que negocia aceleradamente a venda das refinarias Alberto Pasqualini (REFAP), no Rio Grande do Sul, e Presidente Getúlio Vargas (REPAR), no Paraná.

Segundo a estatal petrolífera, que promove há meses uma farra, vendendo subsidiárias a preço de banana, também está liquidando as refinarias Landulpho Alves (RLAM), na Bahia, Isaac Sabbá (REMAN), no Amazonas.

Como o objetivo é desmontar a empresa, a direção da Petrobras ainda vende a Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (LUBNOR), no Ceará.; e a Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), no Paraná.

A Petrobras diz que ainda espera receber propostas para venda da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco, e da Refinaria Gabriel Passos (REGAP), em Minas Gerais, no primeiro trimestre deste ano.

Ou seja, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, estão vendendo o patrimônio dos brasileiros enquanto a velha mídia distrai as atenções com a falta de vacina –pauta não menos importante, mas não única.

Sarcasticamente, a Petrobras e o governo chamam a política de doação de ativos como política de desinvestimento.

Evidentemente, os consumidores de combustíveis irão pagar o pato dessa farra na Petrobras.