Mundo tentará regular gigantes da tecnologia em 2021

As gigantes de tecnologia Google, Amazon, Facebook e Apple estão na mira de autoridades nos Estados Unidos e na União Europeia, que lutam para regular o mercado e quebrar o monopólio no setor de mídias digitais.

O mundo vê riscos democráticos com a concentração de tanto poder nas mãos de um Mark Zuckerberg, por exemplo. O dono do Facebook tem fortuna pessoal superior ao PIB de muitos países e sua plataforma ajudou a derrubar governos, além promover ódio e divisões entre povos em “primaveras” passadas, atentando contra soberanias de nações.

No início de dezembro passado, o governo americano e 46 estados processaram a empresa de Zuckerberg por abuso de poder e monopólio nas redes sociais. Os órgãos reguladores pedem o desmembramento do Instagram e do WhatsApp, que estão sob o guarda-chuva do Facebook.

Ainda nos EUA, o Google encerrou o ano de 2020 com processos em ao menos 38 estados. A Alphabet, dona do Google, é alvo de investigação do Departamento de Justiça. A empresa é acusada de forma truste para liquidar a concorrência por meio do monopólio nas buscas e anúncios online.

Na União Europeia, há dois dispositivos em discussão neste ano de 2021: a Lei de Mercados Digitais e a Lei de Serviços Digitais. O primeiro visa coibir práticas anticompetitivas na indústria de tecnologia enquanto o segundo obriga as aplicações de mídia social a assumir mais responsabilidade por conteúdo ilegal em suas plataformas – golpes, conteúdo terrorista, imagens de abuso etc.

Nos EUA e no Reino Unido, as autoridades têm uma abordagem que se concentra no comportamento corporativo, anticompetitivo e antitruste. O viés da regulação é mais comercial. Já na UE busca-se uma definição do que é permitido legalmente, ou seja, os limites das aplicações de internet.

Resumo da ópera: o mundo tentará regular gigantes da tecnologia em 2021.