Justiça arquiva notícia de fato contra Moro sobre suposta corrupção passiva

Compartilhe agora

A 12ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal determinou, em decisão assinada nesta segunda-feira (25/1), o arquivamento da notícia de fato aberta após o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) pedir investigação de suposta corrupção passiva praticada pelo ex-juiz e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro.

Uma notícia de fato – que é um procedimento preliminar – foi instaurada pelo Ministério Público Federal (MPF), a partir de representação do parlamentar. Ele solicitou à Procuradoria-Geral da República (PGR) a apuração de suposto crime no caso em que Moro tornou-se sócio-diretor da empresa norte-americana Alvarez & Marsal, que administra a recuperação judicial do Grupo Odebrecht. Moro julgou processos que envolvem a Odebrecht, quando era juiz federal.

Segundo o deputado apontou ao MPF, a atuação de Moro “foi decisiva para que fossem celebrados acordos e concedidos benefícios ao Grupo Odebrecht, seus sócios e executivos”, o que indicaria possível solicitação ou recebimento de vantagem indevida, em troca de atos praticados na condição de funcionário público.

Paulo Teixeira ainda sustentou que Moro poderia utilizar, em benefício da atual administração da Odebrecht, informações sigilosas da Operação Lava Jato, às quais teve acesso durante o exercício do cargo de juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Leia mais no site Metrópoles, parceiro do Blog do Esmael.