Irã vai imunizar 82 milhões com vacina de Cuba enquanto Bolsonaro ainda não tem um plano

Compartilhe agora

A ilha de Cuba, no Caribe, vai testar sua vacina Soberana 02 no Irã. O país os aiatolás pretende imunizar os 82 milhões de habitantes. Ele optaram pela vacina cubano porque os iranianos não confiam nos imperialistas ingleses ou britânicos.

Cuba e Irã assinaram um acordo e ambos os países serão imunizados simultaneamente enquanto o presidente Jair Bolsonaro ainda não apresentou um plano concreto de vacinação no Brasil –a não ser promessas.

O país dos revolucionários Fidel Castro e Che Guevara tem 11 milhões de habitantes e projeta imunizar toda sua população ainda no primeiro semestre de 2021.

Incrivelmente, Irão e Cuba não saem do repertório das hostilidades dos Bolsonaro. O Filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), por exemplo, reiteradas vezes agride a soberania desses países gratuitamente –como se não tivéssemos 210 milhões de brasileiros para vacinar.

Vírus chega em Cuba do estrangeiro

A ilha caribenha tem um dos menores índices de Covid-19 de toda a América Latina com 14.188 casos, 148 mortes e 11.682 recuperados.

Para o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, as infecções por Covid-19 no terceiro surto da epidemia, está na responsabilidade individual e das famílias dos viajantes vindos do estrangeiro e de outras pessoas ligadas aos coabitantes.

“Ao se analisar os elos entre os viajantes que chegam ao país, os contatos de primeira ordem com eles, de segunda ordem, de terceira ordem, até o fechamento da rede, fica evidente que entre 70 e 80% dos positivos são importados”, refletiu Díaz-Canel.