Gleisi convoca carreata pelo Fora Bolsonaro neste sábado, dia 23, em todo o País

Compartilhe agora

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, convocou pelas redes sociais carreata pelo Fora Bolsonaro para este sábado (23), em todo o País, durante o dia inteiro.

Gleisi pontuou três bandeiras principais para a carreta deste sábado, a saber:

1. Vacina para todos;
2. Auxílio Emergencial; e
3. Impeachment de Bolsonaro.

“No próximo sábado, vamos fazer carreatas por todo país para defender a vacina para todas e todos, o auxílio emergencial e lutar pelo impeachment de Bolsonaro. Vamos à luta, organizando a carreata na sua cidade!”, convocou a dirigente petista.

Estado de Defesa

Além de estimular a manifestação popular, neste sábado, a presidenta do PT também pressiona o parlamento para que ele efetivamente funcione na pandemia.

“Congresso tem responsabilidade de apurar crimes cometidos por autoridades, por isso lutamos pelo impeachment e queremos CPI da Pandemia. O que espanta é Aras se omitir diante das inúmeras representações na PGR sobre crimes de Bolsonaro, se recusando a cumprir dever constitucional”, criticou.

Gleisi Hoffmann também criticou o procurador-geral da República, Augusto Aras, que, em nota, ameaçou instituir o Estado de Defesa, que é o estágio seguinte ao de calamidade –se a pressão pelo impeachment de Bolsonaro aumentar.

“O estado de calamidade pública é a antessala do estado de defesa. A Constituição Federal, para preservar o Estado Democrático de Direito e a ordem jurídica que o sustenta, obsta alterações em seu texto em momentos de grave instabilidade social. A considerar a expectativa de agravamento da crise sanitária nos próximos dias, mesmo com a contemporânea vacinação, é tempo de temperança e prudência, em prol da estabilidade institucional”, diz um trecho da nota de Aras.

Para a dirigente petista, a indicação de Aras para uso do Estado de Defesa deu gás à turba bolsonarista nas redes sociais. “Mesmo previsto na Constituição, é uma medida extrema, com duras restrições e um perigo nas mãos de um presidente como Bolsonaro. Aras precisa se explicar”, declarou Gleisi.