Estadão pede impeachment de Bolsonaro em editorial deste sábado

Deu ruim para o presidente Jair Bolsonaro. Em editorial deste sábado (23), o Estadão pede o impeachment do mandatário.

“A permanência de Jair Bolsonaro na Presidência inviabiliza a recuperação da imagem do País e a retomada dos contatos produtivos e pacíficos com todas as nações”, escreve o jornalão paulistano.

Antes, porém, uma recordação importante: o jornal O Estado de S. Paulo torceu em 2018 pela eleição de Bolsonaro. No segundo turno, também em editorial, definiu o candidato do PT, Fernando Haddad, como “esquerdista” e “preposto do presidiário” [Lula].

Esclarecido isso, o Estadão mostra-se hoje arrependido e responsável pelo desastre Bolsonaro e pede a cabeça do ministro Ernesto Araújo.

“A questão é que a demissão do sr. Araújo não resolveria nada, pois o problema não é o chanceler, mas o chefe dele. É a permanência do sr. Jair Bolsonaro na Presidência que inviabiliza a recuperação da imagem do País e a retomada dos contatos produtivos e pacíficos com todas as nações, que sempre foi a marca da diplomacia do Brasil”, afirma o Estadão.

Note que Estadão adota a tática do arqueiro que mira acima para acertar o alvo: o ministro das Relações Exteriores.

A campanha principal do jornalão é pela demissão do chanceler, que, segundo a publicação, teria submetido ao constrangedor isolamento do Brasil entre as nações civilizadas, resultado de uma política externa amalucada e irresponsável.

Resumo da ópera: O Estadão pede o impeachment de Bolsonaro, mas se contenta com a demissão de Ernesto Araújo.