Em nota, PSOL condena decisão dos EUA sobre Cuba

Compartilhe agora

O PSOL divulgou uma nota nesta terça-feira (12) “condenando veementemente” a decisão do governo dos Estados Unidos de reincluir Cuba na lista de nações financiadoras do terrorismo.

“A recente determinação comprova que a suposta “guerra ao terror” promovida pelos EUA serve, antes de tudo, a seus interesses imperialistas e à necessidade recorrente de criar inimigos externos para lidar com crises internas”, diz trecho da nota.

Leia a íntegra da nota do PSOL:

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) repudia veementemente a decisão do governo estadunidense de recolocar Cuba em sua lista unilateral de países financiadores do terrorismo. Em meio a uma crise política sem precedentes e em face de um processo de impeachment, Donald Trump segue tentando isolar Cuba e dificultar potenciais iniciativas de diálogo entre aquele país e os EUA sob a presidência de Joe Biden.

A decisão evidencia a utilização do pretenso combate ao terrorismo na promoção de agendas políticas pelos governos estadunidenses, tanto interna quanto externamente ao longo da história. A recente determinação comprova que a suposta “guerra ao terror” promovida pelos EUA serve, antes de tudo, a seus interesses imperialistas e à necessidade recorrente de criar inimigos externos para lidar com crises internas.

Ressalta-se que a recente decisão se soma a uma série de medidas punitivas dos EUA contra Cuba que resultam em um bloqueio econômico ilegal e ilegítimo cujos impactos em 2020 superaram a marca de 5 bilhões de dólares. O PSOL reitera seu compromisso na luta contra este bloqueio e repudia a posição subserviente do governo brasileiro de apoio ao embargo estadunidense.

Juliano Medeiros
Presidente do PSOL
12 de janeiro de 2021