Em nota, Cuba diz que é vítima de terrorismo dos Estados Unidos

Compartilhe agora

O Ministério das Relações Exteriores de Cuba, por meio de nota oficial, condenou de forma firme e absoluta a fraudulenta qualificação como Estado patrocinador do terrorismo. A reação se deu após os Estados Unidos coloram a ilha caribenha na lista de nações terroristas.

O presidente americano Donald Trump qualificou Cuba como nação terrorista no mesmo dia que ele foi alvo do segundo pedido de impeachment na Câmara dos EUA por incitar um golpe de Estado.

Ou seja, Trump usou da prerrogativa para tentar mudar a agenda política desfavorável a ele nos dias que lhe restam na Casa Branca.

Leia a íntegra da nota do governo de Cuba:

Nós, cubanos, rejeitamos com desprezo qualquer manobra destinada a manipular uma questão tão delicada, quando nosso país foi vítima de um terrorismo brutal.

O Ministério das Relações Exteriores condena nos termos mais veementes e absolutos a fraudulenta qualificação de Cuba como Estado patrocinador do terrorismo, anunciada pelo Governo dos Estados Unidos em ato cínico e hipócrita.

Durante meses se especulou sobre a possibilidade de incluir Cuba na lista unilateral do Departamento de Estado que qualifica países, sem mandato ou legitimidade, sem motivação genuína, referindo-se ao terrorismo e suas consequências, e como instrumento de difamação. aplicar medidas econômicas coercitivas contra as nações que resistem a ceder aos caprichos do imperialismo norte-americano.

O anúncio feito pelo secretário de Estado Michael Pompeo constitui um ato soberbo de um governo desacreditado, desonesto e moralmente falido. É sabido, sem dúvida, que a verdadeira motivação para esta ação é impor obstáculos adicionais a qualquer perspectiva de recuperação nas relações bilaterais entre Cuba e os Estados Unidos.

Cuba não é um Estado patrocinador do terrorismo, verdade reconhecida por todos. A política oficial e notória, e a conduta irrepreensível do nosso país, é a rejeição do terrorismo em todas as suas formas e manifestações, em particular o terrorismo de Estado, por parte de quem, contra quem e onde quer que seja cometido.

Cuba é um Estado vítima do terrorismo e nossa população o sofreu em primeira mão, ao preço de 3.478 mortos e 2.099 pessoas com deficiência, por atos cometidos pelo governo dos Estados Unidos ou perpetrados e patrocinados a partir do território daquele país. com a tolerância das autoridades oficiais. Nós, cubanos, desprezamos com desprezo qualquer manobra destinada a manipular uma questão tão delicada, para fins grosseiros de oportunismo político.

As informações são do Granma, jornal oficial do Partido Comunista de Cuba