Doria diz que tentativa de golpe nos EUA é alerta para o Brasil; Bolsonaro fica com a orelha vermelha

Compartilhe agora

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), condenou a invasão do Congresso dos Estados Unidos e disse que o vandalismo foi liderado daqueles que não aceitam a derrota nas urnas.

O tucano afirmou que o ataque ao parlamento americano foi uma afronta à democracia e que isso é um alerta para o Brasil, onde, segundo o governador paulista, uma minoria flerta com o autoritarismo.

Sem citar o nome do presidente Jair Bolsonaro, que ficou com a orelha vermelha, esse fanatismo tenta enfraquecer as instituições e ameaçar o Estado de Direito.

“A invasão do Capitólio chocou o mundo. Cenas de vandalismo e barbárie de extremistas, que não aceitam a derrota. Uma afronta à democracia. Alerta para o Brasil, onde minoria que flerta com o autoritarismo e fanatismo tenta enfraquecer as instituições e ameaçar o Estado de Direito”, escreveu João Doria no Twitter.

A declaração de Doria é bastante parecida com as manifestações do ex-presidente Lula e da presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann, que veem a invasão do Congresso dos EUA como um grande ensaio para a tentativa de golpe por Bolsonaro 2022.

No último dia 22 de dezembro de 2020, Bolsonaro disse que “se a gente não tiver voto impresso em 2022 pode esquecer a eleição”. A frente política entendeu como uma clara ameaça à democracia brasileira.

Assista ao vídeo com a ameaça de Bolsonaro (22/12/2020)