Dona Michelle Bolsonaro tem ciúmes de Ratinho Junior com o marido, Jair Bolsonaro

Compartilhe agora

O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), tem sido muito fiel ao presidente Jair Bolsonaro. Essa fidelidade canina tem chamado a atenção da primeira-dama, Dona Michelle Bolsonaro, que tem ciúmes da relação carnal dos dois mandatários.

Motivos para Dona Michelle ficar com ciúmes de Ratinho não faltam, senão vejamos:

1. O governador Ratinho Junior (PSD) foi um dos poucos a não assinar carta de governadores pedindo que o presidente Jair Bolsonaro negociasse insumos com outros países para a produção da vacina contra a covid-19;

2. Ratinho Junior foi um dos primeiros a implementar o modelo de escolas cívico-militar, antidemocrática, com intervenção militar na direção dos estabelecimentos de ensino –sem que isso represente melhora na qualidade da educação;

3. O governador do Paraná tenta cumprir à risca o modelo de pedágio híbrido, do presidente Jair Bolsonaro, que resultará mais 15 praças e tarifas mais caras para os usuários de rodovias;

4. Ratinho cumpre a determinação de Bolsonaro para privatizar empresas públicas, a exemplo da Copel e Sanepar, para atender a tara dos bancos pelos ativos dos paranaenses;

5. O governador Ratinho Junior, antecipando-se a Bolsonaro, tenta realizar uma reforma administrativa que prevê contratação de servidores públicos por meio de empresas terceirizadas a custos maiores para o erário.

A fidelidade canina de Ratinho com Bolsonaro, por óbvio, tende a implodir o projeto de reeleição do governador do Paraná em 2022.

As pesquisas de opinião dizem que o presidente da República não irá muito longe. Corre o risco de sofrer impeachment ainda este ano.

Por outro lado, as trapalhadas do governo Ratinho Junior tendem a ajudar surgir um vigoroso movimento oposicionista no Paraná liderado pelo ex-governador Roberto Requião (MDB).

O deputado Requião Filho (MDB) prevê este ano chuvas e trovoadas para Ratinho na Assembleia Legislativa do Paraná. Segundo ele, os descontentes serão mais de um terço até o final do primeiro semestre.

Enfim, analisa Requião Filho, a sabujice terá um alto preço que poderá custar a reeleição de Ratinho.