Cerco se fecha contra Bolsonaro; movimento pelo impeachment ganha força

Compartilhe agora

Os últimos acontecimentos de Manaus, sufocada pela falta de oxigênio, aceleraram os acontecimentos. O cerco se fechou para o presidente Jair Bolsonaro e a possibilidade de impeachment ganhou força. É o momento mais grave para o inquilino do Palácio do Planalto desde 1º de janeiro de 2019.

O sistema de saúde de Manaus entrou em colapso nos últimos dias com a disparada dos casos de Covid-19. As internações e os enterros bateram recordes, os hospitais ficaram sem oxigênio e pacientes estão sendo enviados para outros estados.

Parte desse caos na capital do Amazonas é reflexo do negacionismo de Bolsonaro, da sabotagem ao combate à doença, da ausência de investimentos na saúde pública, bem como do desmonte do Sistema Único de Saúde (SUS) pelo atual governo.

Na noite desta sexta-feira (15), para demonstrar seu descontentamento, brasileiros de todas as partes do país bateram panela e pediram Fora Bolsonaro.

No domingo, dia 24, estão programando uma carreata monstro pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Esse evento ocorrerá simultaneamente em todo o país, segundo as entidades envolvidas nessa convocação.

Uma semana depois, dia 31, outra carreata pela ‘vacinação já‘ promete ser a pá de cal em Bolsonaro. Também será nacional e pedirá a saída imediata de Bolsonaro.

O impeachment de Bolsonaro só prospera na Câmara se houver a concordância do presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que terá de escolher um dentre os 60 pedidos protocolados nos últimos 12 meses.