Bolsonaro se humilha com Xi Jinping enquanto pede penico para Biden

Compartilhe agora

O presidente Jair Bolsonaro se mostra um atraso em todas as frentes: econômica, social, política e diplomática. Vide o isolamento em que ele meteu o Brasil. A China, principal fornecedora de insumos para a vacina, prefere encontrar-se com o diabo a tratar com o mandatário brasileiro.

Nesta quarta-feira (20), mandou uma cartinha para o presidente americano Joe Biden se humilhando, propondo submissão canina, depois de ter ameaçado o democrata durante a campanha.

Na missiva, divulgada por Bolsonaro nesta quarta, o presidente brasileiro diz ser “grande admirador dos Estados Unidos” e que, desde de que assumiu o poder no Brasil, passou a “corrigir” o que chamou de “equívocos de governos brasileiros anteriores”, que, segundo o presidente, “afastaram o Brasil dos EUA”.

Bolsonaro também estuda fazer uma ligação para o chefe de Estado da China, Xi Jinping, na tentativa de negociação de insumos da vacina CoronaVac. No entanto, o líder chinês pode não atender ao telefonema do “minto”.

O isolamento do Brasil, nesse momento crucial, coloca o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, na marca do pênalti. Ele está demissível desde a vitória de Biden, mas a situação das vacinas agravam a permanência do chanceler no cargo.

Por outro lado, no aquecimento, aparece o ex-presidente Michel Temer (MDB) –Vampirão Neoliberal– que postou em suas redes sociais foto amável com Biden.

“Desejo ao presidente @joebiden sucesso na sua caminhada. Com certeza ele saberá promover a paz interna e no plano internacional. Boa sorte, amigo!”, escreveu o Vampirão no Instagram.

Temer é uma possibilidade para a substituição de Araújo no Itamaraty.