Bolsonarista, CNI reconhece que atividade industrial desacelerou em novembro

Compartilhe agora

Até a bolsonarista Confederação Nacional da Indústria (CNI) reconhece, enfim, que a atividade industrial desacelerou no mês de novembro.

A imprensa internacional tem retratado a depressão econômica com uma visível implosão do mercado de consumo interno no Brasil, enquanto a mídia brasileira censura essa discussão mais a fundo.

De acordo com os Indicadores Industriais, pesquisa da CNI, as vendas recuaram e a atividade industrial desacelerou em novembro na comparação com outubro de 2020.

Segundo a chapa-branca CNI, esse foi o primeiro recuo após supostos seis meses seguidos de crescimento. “O dado ainda não fala em estagnação nem que o ciclo de crescimento tenha se encerrado”, diz o relatório.

O deputado Carlos Zarattini (PT-SP), pelo Twitter, fez uma grave denúncia acerca dessas entidades do Sistema S.

Segundo o parlamentar petista, o Brasil perdeu 37 mil fábricas nos últimos cinco anos. “Com o silêncio da CNI e Fiesp”, disse ele, destacando o “bolsonarismo” dessas organizações paraestatais.

Zarattini afirmou que CNI e Fiesp, dentre outras, vivem de renda. Ou seja, as entidades aplicaram “seus” recursos no mercado financeiro. Detalhe: o dinheiro é público (contribuição compulsória de 2,5% sobre a folha de pagamento das empresas brasileiras).