Biden foi injustamente acusado de fraude, mas era Trump quem tentava fraudar a eleição nos EUA [áudio]

Compartilhe agora

O presidente Donald Trump foi flagrado em um grampo telefônico tentando fraudar a eleição no estado da Geórgia. Na conversa monitorada, o mandatário exige que o secretário do Estado republicano da Geórgia “encontrasse” votos suficientes para derrubar a eleição presidencial e o ameaçou vagamente com “um crime” durante uma conversa telefônica de uma hora neste sábado (2). Trechos de áudio dos diálogos vieram a público.

Trump, que passou quase nove semanas fazendo falsas alegações de conspiração sobre sua derrota para o presidente eleito Joe Biden, disse a Brad Raffensperger, principal autoridade eleitoral do estado, que deveria recalcular a contagem de votos para que o Trump ganhasse os 16 votos eleitorais da Geórgia.

“Eu só quero encontrar 11.780 votos, o que é mais um do que nós”, disse Trump na teleconferência, uma gravação obtida pelo jornal The Washington Post, que publicou trechos do áudio em seu site neste domingo (3). “Porque ganhamos o estado.”

Raffensperger rejeitou os esforços do presidente para fazê-lo reverter os resultados eleitorais, que serão certificados pelo Congresso durante uma sessão na quarta-feira (6). Alguns dos aliados de Trump na Câmara e no Senado disseram que farão objeções aos resultados das eleições em vários estados, incluindo a Geórgia.

Mas Raffensperger disse a Trump que defendia os resultados.

“Bem, senhor presidente, o desafio que você tem são os dados que você tem estão errados”, disse ele, de acordo com a gravação de áudio.

Durante a ligação, o presidente ofereceu várias teorias de conspiração falsas, incluindo acusações desmascaradas de que as cédulas no condado de Fulton foram retalhadas e que as máquinas de votação operadas pela Dominion Voting Systems foram adulteradas e substituídas. Ryan Germany, o advogado do gabinete de Raffensperger, pode ser ouvido dizendo ao presidente que tais acusações são falsas.

“Você deveria querer uma eleição precisa. E você é um republicano ”, disse Trump a Raffensperger, que respondeu: “acreditamos que temos uma eleição precisa”.

Trump respondeu: “Não, não, não, você não, você não tem, você não tem, nem mesmo perto. Vocês estão errados por centenas de milhares de votos.”

Em seguida, o presidente sugeriu que Raffensperger poderia ser processado criminalmente.

“Você sabe o que eles fizeram e não está relatando”, disse o presidente. “Você sabe, isso é um crime – isso é um crime. E você sabe, você não pode deixar isso acontecer. É um grande risco para você e para Ryan, seu advogado. É um grande risco.”

O presidente confirmou a ligação em um tweet na manhã de domingo, alegando que Raffensperger “não queria ou era incapaz de responder a perguntas como o golpe das ‘cédulas embaixo da mesa’, destruição de cédulas, ‘eleitores’ de fora do estado, eleitores mortos e mais. Ele não tem ideia!”

Em uma resposta no Twitter, Raffensperger escreveu: “Respeitosamente, Presidente Trump: O que você está dizendo não é verdade. A verdade virá à tona.”

Ouça o áudio [WP]