Auxílio emergencial bombou nas buscas do Google em 2020

Com 77 milhões de beneficiários, o auxílio emergencial foi o termo mais procurado nas buscas do Google durante o ano de 2020.

O benefício terminou oficialmente no último dia 29 de dezembro e o governo ainda não tem programa para substituí-lo.

O Google, no entanto, faz um ‘coorte’ na busca por termo econômico. A procura se deu mais forte nos estados do Norte e do Nordeste.

Bolsonaro foi contra o auxílio emergencial de R$ 600

O governo do presidente Jair Bolsonaro estuda prorrogar o auxílio emergencial por mais seis meses.

Embora ele tenha se posiciona contra, Bolsonaro sabe que o Congresso Nacional irá aprovar a prorrogação do benefício ainda em fevereiro.

Nunca é demais lembrar que o presidente e o ministro da Economia, Paulo Guedes, defendiam a merreca de R$ 200 no auxílio emergencial. No entanto, a oposição derrotou o governo e impôs o valor de R$ 600. Depois, em setembro, a dupla [Guedes e Bolsonaro] cortou a ajuda pela metade.

Bolsonaro ainda pensa em cortar o número de beneficiados pelo auxílio emergencial e elevar o valor, possivelmente de R$ 300 para 500 enquanto durar a pandemia.

Outra maldade seria cortar o Bolsa Família para financiar o auxílio emergencial. Daí a campanha da mídia contra o programa consagrado mundial.

Bolsonaro é contra a ajuda aos mais pobres. Ele já declarou isso várias vezes, mas o presidente sabe que sua frágil popularidade e sustentação política dependem desse auxílio emergencial.