Ainda há tempo para Rodrigo Maia aceitar o impeachment de Jair Bolsonaro

Compartilhe agora

As declarações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), contrárias ao presidente Jair Bolsonaro, soam como palavras ao vento.

O parlamentar criticou ontem o mandatário dizendo que ele supera “delírios e devaneios de Trump” ao sugerir fraude na eleição presidencial americana e que isso que aconteceu lá [nos EUA] pode ocorrer no Brasil.

Para muitos leitores do Blog do Esmael, Maia e a velha mídia golpista brasileira são cúmplices do atual estado de coisas e da existência política de Bolsonaro.

Bolsonaro ameaçou afirmando que o que aconteceu nos EUA pode acontecer no Brasil. Só isso já seria mais do que suficiente para a abertura de impeachment, mas falta colhões a Maia.

Bolsonaro disse, sem mostrar evidências, que a crise nos Estados Unidos e a invasão ao Capitólio ocorreu porque “houve gente que votou três, quatro vezes, mortos votaram, foi uma festa lá”.

A alegação é falsa. Bolsonaro repete as informações falsas de Trump.

O presidente brasileiro ensaia as mesmas patifarias para as eleições de 2022, mas Rodrigo Maia ainda não vê motivo para abrir o impeachment na Câmara.

“Se tivermos o voto eletrônico [no Brasil] em 2022, vai ser a mesma coisa. A fraude existe”, declarou o presidente, também sem apresentar provas e contrariando o que dizem o TSE e a imprensa.

Parlamentares, como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ficaram somente nas críticas à declaração. São apenas agentes passivos diante da ameaça à democracia.

Ainda dá tempo para Rodrigo Maia aceitar o impeachment de Jair Bolsonaro. Ele continuará como presidente da Câmara até 1º de fevereiro próximo.