Bolsonaro ensaia aderir ao ‘fique em casa’ depois de afagar a China

62% dos brasileiros são contrários à volta das aulas presenciais, diz Paraná Pesquisas

A Paraná Pesquisas afirma que 62% dos brasileiros são contrários à volta das aulas presenciais.

Segundo o instituto, 34% são favoráveis à volta das aulas presenciais e 4% não sabem ou não quiseram opinar.

A Paraná Pesquisas entrevistou 2.105 pessoas de 26 estados e Distrito Federal entre os dias 15 e 18 de janeiro. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

De posse desses números, o presidente Jair Bolsonaro pensa em uma nova abordagem sobre o tema. Ou seja, o mandatário pode adotar o lema “fique em casa” nessa segunda onda da pandemia.

Bolsonaro já deu um cavalo de pau na disputa pela paternidade das vacinas com o governador João Doria (PSDB).

Se antes o presidente era negacionista, contra a vacina e hostil à China, agora Bolsonaro se apresenta desde criancinha a favor à imunização e amiguinho do líder chinês Xi Jinping.

A mudança de Bolsonaro tem nome: medo de sofrer impeachment, cujo movimento no Congresso e na sociedade já é uma realidade objetiva.

Moral da história: com fogo no rabo até preguiça corre.