luciano hang veio da havan

Véio da Havan surta com fechamento de Loja da Havan em Pelotas (RS)

Depois de chorar na semana passada, o empresário Luciano Hang, o Véio da Havan, surtou ao ser autuado no município de Pelotas (RS) por descumprir normas sanitárias locais.

Segundo ele, em vídeo publicado nas redes sociais, policiais militares tentaram intimidá-lo. Ele lamentou o fechamento da Loja da Havan pela prefeita pelotense Paula Mascarenhas (PSDB).

A cidade de Pelotas fechou as atividades não essenciais porque a taxa de ocupação nas UTIs chegou a 91,3% enquanto os casos de covid-19 continuam aumentando no município.

O fechamento dos serviços não essenciais –dentre os quais as Lojas da Havan– começou dia 10 e irá até a próxima terça-feira (15).

“A prefeita fechou a cidade por cinco dias em pleno Natal. Imagina o pequeno comerciante que acreditou na política dizendo que não ia mais fechar, contratou mais gente, comprou mais produto, pagou o 13º, como é que fica?”, condenou em um vídeo, Luciano Hang, o Véio da Havan.

Na guerra contra a prefeita tucana, o dono das Lojas Havan fez um paralelo entre Pelotas e São Paulo retuitando um vídeo de um morador atacando Paula Mascarenhas.

“Em São Paulo não é que ganhou o Covas (PSDB). Perdeu o Boulos (PSOL). Lamentavelmente, às vezes, nas eleições, você não tem em quem votar”, disparou o empresário Luciano Hang.

O Véio da Havan também fez uma espécie de “preleção” com os funcionários da Loja Havan em Pelotas (veja vídeo abaixo). Na peça, ele minimiza o perigo do coronavírus e defende abertura de escolas e outras atividades.

“Nós temos de ter coragem. Nós não vamos fechar mais”, disse.

Na semana passada, em Maringá (PR), o Véio da Havan chorou ao saber do fechamento da loja no município também pelo descumprimento de normas sanitárias estabelecidas pela prefeitura local.

Assista aos vídeos:

Véio da Havan chorou ao saber de interdição de loja em Maringá (PR)

Véio da Havan é alvo de pedido de quebra de sigilo em ação no TSE contra Bolsonaro

Gleisi sobre Véio da Havan: “Esse idiota é burro”