Véio da Havan chora ao saber de interdição de loja em Maringá (PR)

Compartilhe agora

Deu ruim para o Véio da Havan. Uma de suas lojas, no município de Maringá, Noroeste do Paraná, foi interdita na tarde deste sábado (4) por descumprimento de normas sanitárias.

O empresário Luciano Hang, o Véio da Havan, chorou ao saber da interdição da loja localizada na Avenida Horácio Raccanelo.

Segundo fiscalização da Prefeitura de Maringá, a loja da Havan no município descumpriu os decretos de combate à pandemia da covid-19.

A loja foi interditada por 72h. Em caso de descumprimento, segundo a prefeitura, a interdição poderá ser por sete dias.

A Havan estava funcionando irregularmente, já que teve mandado de segurança negado pela justiça.

O comércio foi proibido de funcionar aos fins de semana em Maringá, conforme o decreto nº 1.840/2020 publicado pela prefeitura, na segunda-feira (30). O estabelecimento recorreu da decisão, mas a liminar foi negada, conforme a prefeitura.

Nessa sexta-feira (4), lojistas e funcionários de shoppings protestaram contra o fechamento aos fins de semana. Na ocasião, o empresário Luciano Hang, dono da Havan, se manifestou sobre o assunto. “O único lugar que fez esse ‘lockdown’ de fechar no sábado e domingo foi a cidade de Maringá […]”, disse Hang, em entrevista a repórter Luciana Peña da CBN Maringá.

Com informações da CBN Maringá e Portal do Rigon.

Véio da Havan é alvo de pedido de quebra de sigilo em ação no TSE contra Bolsonaro

Gleisi sobre Véio da Havan: “Esse idiota é burro”

Boneco do Véio da Havan assustou as crianças e é usado de espantalho na zona rural