STF sob ataque: PF faz busca e apreensão em Mato Grosso

Compartilhe agora

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), depois que se enveredaram para a política, se sentem ameaçados por grupos fundamentalistas. Por determinação da Corte, a Polícia Federal cumpriu nesta terça-feira (22) mandados de busca e apreensão em Mato Grosso para investigar ameaças aos magistrados e seus familiares.

Antes uma consideração do Blog do Esmael, que repudia quaisquer tipos ódio e violência. Nós entendemos que esse ambiente foi criado pela autoridade máxima do País, o presidente Jair Bolsonaro, cujo histórico é de açulamento dos chamados bolsonaristas –ou bolsominions–, que “empodera” para o mal do guarda da esquina até o mais graduado profissional liberal.

Voltemos á busca e operação da PF.

A Operação Shield foi autorizada pela Justiça Federal de Mato Grosso e teve como objetivo reunir elementos sobre um investigado no município de Paranatinga (MT).

As ameaças eram dirigidas ao ministro Alexandre de Moraes e às filhas dele.

O investigado se identifica nas redes sociais como Ezequiel Souza Lopes. Em novembro, ele postou em uma rede social a seguinte mensagem: “Você Alexandre de Moraes e a sua família vai ser executada, e não tem mais volta você, você pediu isso, então toma tiro”.

Por ordem judicial, os perfis do investigado em redes sociais foram bloqueados.

Alexandre de Moraes é o relator de um inquérito instaurado “de ofício” em março do ano passado pelo então presidente do Supremo, Dias Toffoli, a fim de apurar ameaças a ministros do Supremo.

A operação realizada nesta terça no Mato Grosso não tem relação direta com o inquérito que tramita no Supremo.