Se tivesse colhões, Rodrigo Maia aceitaria um dos 50 pedidos de impeachment de Bolsonaro

O jornalista Ricardo Noblat, colunista da Veja, neste sábado (12), fez um desafio ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para ele admitir um dos mais de 50 pedidos de impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo Noblat, seria o “último serviço” de Maia a favor do Brasil, antes de deixar a presidência da Câmara, instalar o processo de impedimento do presidente da República.

“Está aí o último serviço que o deputado Rodrigo Maia poderia prestar ao país na condição de presidente da Câmara – aceitar um dos mais de 50 pedidos de abertura de impeachment contra Bolsonaro”, escreveu o jornalista.

O problema, caro Noblat, é que Maia não tem colhões. Ele não tem aquilo roxo, como certa feita orgulhou-se Collor de Mello.

Rodrigo Maia é prisioneiro dos esquemas do sistema financeiro e da Globo.

O impeachment bagunça a lógica de especuladores e rentistas, portanto, hoje, aceitar o pedido de impeachment, seria o mesmo que Maia atentasse contra a própria meta.

Não estranhe, portanto, caro Noblat, se você ainda vir Maia e Bolsonaro juntos no mesmo palanque em 2022.

Bolsonaro de 2015 pediria impeachment de Bolsonaro de 2020

Caso Queiroz: PT pede impeachment de Bolsonaro e prisão de Flávio Bolsonaro

Frota volta a pedir impeachment de Bolsonaro