Requião critica Bolsonaro por fala sobre tortura de Dilma: “Canalhice absoluta”

Compartilhe agora

O ex-senador Roberto Requião (MDB-PR) usou as redes sociais nesta terça-feira (29) para criticar a fala do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a tortura sofrida pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

“A crítica, o deboche, a ironia, de Bolsonaro a respeito da prisão e das torturas sofridas pela ex-presidente Dilma Rousseff, foram abjetas, uma ignomínia, bíblicamente abomináveis. Canalhice absoluta e indesculpável, pela análise de toda pessoa decente”, escreveu o ex-senador no Twitter.

Ontem (28), Bolsonaro ironizou a tortura sofrida por Dilma no período em que ela foi presa, em 1970, durante a Ditadura Militar.

“Dizem que a Dilma foi torturada e fraturaram a mandíbula dela. Traz o raio X para a gente ver o calo ósseo. Olha que eu não sou médico, mas até hoje estou aguardando o raio X”, disse o presidente a correligionários, cobrando que a petista mostrasse um raio X para provar uma fratura na mandíbula.

Além de Requião, várias outras personalidades políticas reprovaram a fala do presidente.

Dilma também reagiu. Por meio de nota, a ex-presidente afirmou que Bolsonaro é “fascista”, “sociopata” e “cúmplice da tortura e da morte”