Ministro Paulo Guedes com prazo de validade no governo: 2 de fevereiro de 2021

Compartilhe agora

O ministro da Economia, Paulo Guedes, está com os dias contados no governo. O Blog do Esmael apurou que o prazo de validade do representante dos bancos no governo é 2 de fevereiro de 2020. Explica-se abaixo.

O dedline [linha da morte] para Paulo Guedes são as eleições na Câmara e no Senado. Em caso de vitória de Bolsonaro, isto é, do Centrão, o ministro da Economia “voa” do cargo imediatamente.

Não há discordâncias entre o presidente Jair Bolsonaro e Guedes “no tocante” à economia, ou seja, à desgraça neoliberal, que privilegia bancos e rentistas em detrimento da produção e do emprego. Pelo contrário.

A desavença entre Guedes e Bolsonaro começou a surgir na eleição na Câmara quando os parlamentares de centro-direita e de esquerda, em torno do bloco de Rodrigo Maia (DEM-RJ), cerraram fogo contra a pauta de costumes do inquilino do Palácio do Planalto. No entanto, preservaram a agenda econômica. Maia, inclusive, elogiou Guedes enquanto chamava Bolsonaro de mentiroso.

Bolsonaro tinha acusado Maia de emperrar o pagamento do 13º do Bolsa Família. O presidente da Câmara foi à tribuna chamar Bolsonaro de mentiroso na última sexta-feira (18).

“Peguem as redes sociais dos bolsominions, que você vai ver que está lá: ‘Rodrigo Maia derruba e caduca medida provisória do 13º do Bolsa Família e do BPC’. Então, é uma articulação conjunta para desqualificar e desmoralizar a imagem dos adversários do presidente da República. Mas hoje, o próprio ministro Paulo Guedes confirmou que o presidente é mentiroso, quando disse que de fato não há recursos para o 13º do Bolsa Família”, disse.

Até as emas que pastam o gramado do Palácio da Alvorada, residência oficial do governo, sabem que os Bolsonaro guardam a mágoa na geladeira para conservá-la bem. Que o digam os ex-ministros Sergio Moro, Gustavo Bebianno (falecido) e Henrique Mandetta –só para ficar em três exemplos.

Numa entrevista com seu pai, o presidente Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) perguntou se alguma vez Guedes esteve prestes a sair do governo.

Jair Bolsonaro desmentiu dizendo que, às vezes, Guedes fica irritado com votações no Congresso. “Agora, no tocante a sair [ele] falou que vai sair comigo.”

O problema é que a entrevista de Eduardo Bolsonaro com o seu pai foi gravada antes do elogio de Maia a Guedes, na última sexta-feira. A impressão que ficou é que, se cair Bolsonaro, o ministro da Economia continua no cargo cuidando dos interesses dos bancos. Um horror, portanto.