O PT rejeita Baleia Rossi porque ele é mais fiel ao governo Bolsonaro que Arthur Lira

Compartilhe agora

É mais fácil um capitalista entrar no Reinos Céus do que o PT apoiar o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), o Baleia Ensaboada, na disputa pela presidência da Câmara. A cada dia aumenta mais a rejeição ao candidato de Rodrigo Maia entre os petistas.

Levantamento do site Congresso em Foco, aponta que Baleia Rossi, presidente nacional do MDB, votou com o governo Bolsonaro em 90% das votações nominais da Câmara, enquanto o deputado Arthur Lira (PP-AL) seguiu a orientação do líder do governo em 88% das vezes.

Baleia foi um fiel cordeiro do governo principalmente em pautas econômicas na Câmara, mas, para engabelar a oposição, Maia tentou forjar a “unidade” somente em cima da pauta de costumes. Resumindo: o filé mignon ficaria com a ultradireita e o osso, que não envolve orçamento, com os oposicionistas.

Por conta disso, das pautas desvantajosas, a direção nacional do PT irá examinar em janeiro próximo a possibilidade de lançar candidato da esquerda na disputa pela Câmara, ou seja, o “Bloco de Maia” não resistiu a uma raja de vento forte e ruiu como cartas.

Recentemente o deputado Glauber Rocha (PSOL-RJ), em tom de desafio, disse que o partido apoiará o candidato que se comprometer a:

1. barrar as privatizações;
2. instalar a CPI da Lava Jato;
3. parar a excludente de ilicitude;
4. não pautar a reforma administrativa;
5. não pautar a autonomia da Banco Central; e
6. não pautar a escola sem partido.

Pela última palavra da presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmmann (PR), é possível que os partidos de esquerda se somem no primeiro turno e negociem essas marcações com quem for para o segundo turno.

Ou ainda: Rodrigo Maia poderá recuar “Baleia Ensaboada”, mas, todavia, não se trata apenas de desavença com o nome. Tem a ver com a pauta na Câmara.