Lula Presidente 2022 incendeia as redes sociais neste fim de ano

Compartilhe agora

A candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2022, incendeia as redes sociais neste início de fim de ano.

Internautas colocara nesta quarta-feira (02/12) a hashtag #LulaPresidente2022 no topo dos assuntos mais discutidos no Twitter.

A probabilidade de Lula concorrer à Presidência da República, daqui dois anos, aumentou muito à medida que o índice de suspeição do ex-juiz Sérgio Moro explodiu.

Moro virou sócio de uma consultoria americana cuja carteira de clientes tem a Odebrecht, Galvão Queiroz, Sete Brasil e a OAS.

Sérgio Moro julgou, homologou delação premiada, acusou o ex-presidente Lula, sentenciou o petista e quebrou empreiteiras, enfim, fez o diabo com os executivos que agora irá defender no escritório Alvarez & Marsal.

O caso tríplex do Guarujá (SP) teve sentença condenatória confirmada por Moro a partir de uma delação de Léo Pinheiro, da OAS, agora cliente do ex-juiz.

A sociedade de Moro com A&M, nos EUA, amplia as suspeições sobre Moro. No começo de 2021, ele será julgado pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal em um habeas corpus do ex-presidente Lula no caso tríplex.

A tendência é que o STF anule a sentença de Moro e Lula recupere seus direitos políticos. Logo, o ex-presidente poderá disputar a eleição de 2022.

É nesse contexto que os internautas incendeiam as redes sociais com a hashtag #LulaPresidente2022.

A habilitação de Lula é uma questão de justiça, bem como o reconhecimento de que sua condenação foi fruto de uma fraude judicial.

PT x PT

O senador Jaques Wagner (PT-BA) defendeu uma “mudança geracional” e “de conteúdo” no PT e se colocou como uma opção de candidato para concorrer em 2022 ao posto de governador da Bahia e até mesmo ao de presidente do Brasil. O parlamentar foi entrevistado pela rádio Metrópole, de Juazeiro do Norte.

“Na minha opinião, o que o PT deve fazer é isso: uma mudança de conteúdo, quer dizer, para atualizar seu conteúdo, e uma mudança geracional, botando gente mais nova”, disse Wagner, descartando o ex-presidente Lula em 2022. “Nada contra a gente (mais velhos), porque ainda desempenhamos muita coisa boa, mas é preciso trazer a outra geração para ocupar espaço”, emendou.

Jaques Wagner aproveitou a entrevista para se colocar como candidato do PT à sucessão do presidente Jair Bolsonaro, em 2022.

“Meu nome está posto tanto na cena nacional como na cena estadual. Eu tenho responsabilidade”, discursou o senador baiano. “Para 2022, eu acho que tem que esperar um pouco essa cena ir se arrumando, mas meu nome está colocado.”

Estadão ‘passa pano’ na imoralidade de Sérgio Moro

PT cobra da PGR investigação sobre sociedade de Moro com consultoria americana

Deu ruim para a Lava Jato: Lewandowski libera acesso de Lula a acordos da força-tarefa nos EUA