Jogadores de PSG x Istanbul Basaksehir abandonam jogo após racismo de árbitro

Não ao racismo, não para o racismo. Esta foi a mensagem deixada pelo time do Istanbul Basaksehir nas redes sociais, após membro de sua equipe técnica ser ofendido por um dos árbitros da partida.

Jogadores do PSG e do Istanbul Basaksehir protagonizaram um momento histórico no Parque dos Príncipes, nesta terça-feira (8), em partida válida pelo Grupo H da Liga dos Campeões. As duas equipes deixaram o gramado do estádio no meio do primeiro tempo após uma ofensa racista do quarto árbitro romeno Sebastian Colţescu contra o camaronês Pierre Webó, ex-atacante e membro da comissão técnica da equipe turca.

Após duas horas de suspensão, a Uefa anunciou que o jogo será disputado na quarta-feira, às 14h55 (de Brasília), com uma nova equipe de arbitragem. O confronto será retomado a partir dos 13 minutos do primeiro tempo, momento em que a confusão começou nesta terça.

O tumulto se iniciou quando o lateral brasileiro Rafael, do Istanbul, foi punido com cartão amarelo. Membros da equipe turca reclamaram bastante da punição. Nesse momento, segundo relato de jornalistas romenos, o quarto árbitro Sebastian Coltescu chamou o juiz principal, Ovidiu Hategan, e pediu punição a Pierre Webó. Ele disse o seguinte:

“Aquele preto ali. Vá lá e verifique quem é. Aquele preto ali. Não dá para agir assim”, afirmou Coltescu, a Hategan, ao se referir ao camaronês da comissão técnica do Istanbul.

Webó se revoltou e questionou Coltescu por várias vezes: “O que você falou? Por que você falou preto?”. O árbitro principal, Ovidiu Hategan, se aproximou e deu um cartão vermelho em direção ao camaronês. A partir daí, a revolta dos membros da comissão técnica e reservas do Istanbul Basaksehir ficou maior.

“Você nunca diz ‘aquele cara branco’, você diz ‘aquele cara’. Me escute, por que quando você menciona um cara negro você diz “aquele negro ali?”, protestou Demba Ba, jogador do PSG, diante do quarto árbitro de PSG x İstanbul Başakşehir.

Dirigentes das duas equipes foram ao gramado para entender a situação, e os atletas de PSG e Istanbul Basaksehir decidiram abandonar a partida. Nas redes sociais, o clube turco publicou uma mensagem de combate ao racismo, republicada pelo perfil do Paris.

O narrador esportivo Jorge Iggor, do canal a cabo TNT, desabafou sobre os casos de racismo estrutural existente no Brasil e no mundo. “A gente chegou ao ponto mais baixo. Uma autoridade ofender racialmente um jogador dá nojo”, disse. “É cinismo negar o óbvio.”

Assista ao vídeo:

Com informações do ge