Joe Biden é vacinado nos EUA enquanto Bolsonaro vê ‘pressa’ de imunização no Brasil

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, foi vacinado nesta segunda-feira (21) contra a Covid-19. Ele fez questão de levar a primeira agulhada em público para incentivar os americanos a se imunizarem.

A vacina é da Pfizer-BioNTech e foi recebida no Hospital ChristianaCare, que fica a uma curta distância de carro de sua casa em Wilmington.

“Estou fazendo isso para demonstrar que as pessoas devem estar preparadas quando houver disponibilidade para tomar a vacina. Não há nada com que se preocupar”, disse Biden após receber sua injeção.

Nos EUA, o atual presidente Donald Trump fez ampla campanha para minimizar a doença, aglomerando sem máscara e receitando drogas sem eficácia para combater o vírus. Os passos do americano foram imbecilmente copiados no Brasil pelo presidente Jair Bolsonaro.

Bolsonaro disse no fim de semana que não precisa de pressa para a vacinação e afirmou que a pandemia está chegando ao fim, distorcendo a realidade objetiva –de aumento de casos e mortes– com seu contumaz negacionismo.

Além do presidente eleito Joe Biden, a futura primeira-dama Jill Biden também recebeu suas primeiras doses da vacina Covid-19, em Delaware, com transmissão ao vivo na TV.

Sobre a vacinação nos EUA

As primeiras doses da vacina contra coronavírus Pfizer e BioNTech foram injetadas a partir de uma semana atrás em profissionais de saúde, que estão na linha de frente na batalha contra uma pandemia que tirou a vida de quase 320 mil americanos desde que o vírus atingiu o país em fevereiro e março.

A vacina foi autorizada dias antes pela Food and Drug Administration (FDA) para uso de emergência, e as primeiras doses foram entregues a todos os 50 estados, o Distrito de Columbia e Porto Rico. Três dias atrás, uma segunda vacina que foi produzida pela fabricante de remédios Moderna foi aprovada para uso emergencial pelo FDA.