Ibope aponta viés de ‘queda’ de Bolsonaro e abre divergência com Parana Pesquisas e Datafolha

Pesquisa do Ibope abriu divergência com o Datafolha e a Paraná Pesquisas ao apontar nesta quarta-feira (16) queda na popularidade do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o Ibope, avaliação positiva do governo Jair Bolsonaro para o mês de dezembro é de 35% ante 40% de setembro.

A Paraná Pesquisas, no começo de dezembro, afirmou que a aprovação de Bolsonaro cresceu e atingiu 37,2%. No último domingo (13), na mesma toada, o Datafolha confirmou o mesmo índice de 37% de aprovação do presidente.

Embora todos eles apontam entre 35% e 37% de aprovação de Jair Bolsonaro é importante registrar que a divergência do Ibope porque ele aponta um viés de “queda” enquanto Paraná Pesquisas e Datafolha indicam viés de “alta” na popularidade do mandatário.

Os números apontam também que confiança no presidente praticamente não mudou, oscilando de 46% para 44%, dentro da margem de erro.

O levantamento do Ibope foi contratado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Os números apontam redução de cinco pontos percentuais em dezembro na quantidade de pessoas que avaliam o governo como ótimo ou bom, em relação à última pesquisa CNI-Ibope, realizada em setembro. A avaliação do presidente, no entanto, é seis pontos maior que a registrada em dezembro de 2019, quando chegou à 29%. Os números apontam também que confiança no presidente praticamente não mudou, oscilando de 46% para 44%, dentro da margem de erro.

A aprovação da maneira de governar do presidente diminuiu, no limite da margem de erro, de 50% para 46% e a desaprovação subiu, também no limite da margem de erro, de 45% para 49%. A pesquisa CNI-Ibope ouviu 2 mil pessoas entre 5 e 8 de dezembro em 126 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos e a confiança, de 95%.

Os números apontam que o percentual de brasileiros que avaliam o governo como ruim ou péssimo cresceu, no limite da margem de erros, de 29% para 33%. A área de segurança pública registra a maior queda no percentual de aprovação entre as nove áreas de atuação avaliadas, com recuo de 7 pontos – na última pesquisa era a única área com saldo positivo, registrando mais aprovação do que desaprovação. A pesquisa aponta queda também nas áreas de taxa de juros, inflação, saúde e combate à fome e à pobreza.

Bolsonaro é mais popular nas cidades pequenas

De acordo com os dados da pesquisa CNI-Ibope, a popularidade do presidente Jair Bolsonaro é maior entre os residentes das cidades pequenas e da Região Sul, enquanto é menor entre os jovens, sobretudo aqueles que têm de 16 a 24 anos de idade e os que moram nas cidades grandes.

Os moradores de cidades pequenas – aquelas com até 50 mil habitantes – mantêm o sentimento com relação ao presidente e seu governo nas pesquisas de setembro e dezembro. Mais da metade da população desses municípios confia em Jair Bolsonaro e aprova sua maneira de governar, com índices de 53% e 55%, respectivamente.

Esses percentuais caem nas grandes cidades – aquelas com mais de 100 mil habitantes –, com índices de 35% de confiança e 36% de aprovação da maneira de governar. Nesses municípios, 62% não confiam no presidente e 58% desaprovam sua maneira de governar.

Sudeste e Nordeste são as regiões em que o governo tem menor popularidade

A pesquisa CNI-Ibope revela que as regiões Sudeste e Nordeste reúnem a maior parcela descontente com o presidente. Para 36%, no Sudeste, e 34%, no Nordeste, o governo está sendo ruim ou péssimo. Em as regiões, 55% não confiam no presidente e 52% dos residentes no Sudeste e 51% dos que moram no Nordeste não aprovam a maneira de governar do presidente Bolsonaro.

Entre setembro e dezembro, todas as regiões geográficas, à exceção do Nordeste, apresentaram queda na popularidade do presidente Jair Bolsonaro. No entanto, o Sul continua sendo a região onde o presidente é mais popular, com 44% dos entrevistados considerando o governo como ótimo ou bom, 52% afirmando confiar no presidente e 55% aprovando sua maneira de governar.

Presidente Jair Bolsonaro soube de aprovação recorde 10 dias antes de sair a pesquisa Datafolha

Pesquisa aponta Bolsonaro e Lula como favoritos em 2022

Paraná Pesquisas: esquerda unida derrotaria Bolsonaro em 2022