Globo teme concorrência de blogs bolsonaristas com vazamentos exclusivos

A TV Globo tem gastado alguns preciosos minutos em seus telejornais contra sites e blogs bolsonaristas. Segundo a emissora, são canais na internet que lucram R$ 100 mil por mês com informações privilegiadas de dentro do governo.

Escandalizada, a Globo até pouco tempo atrás vazava documentos da Lava Jato. Ela obtinha informações privilegiadas da força-tarefa e do ex-juiz Sergio Moro. O alvo era o PT e o ex-presidente Lula.

A preocupação “ética” da Globo é porque ela perdeu vazamentos exclusivos para sites e blogs bolsonaristas. A fila andou.

Articulada com o Estadão, a emissora dos Marinho diz que os [irrelevantes] dados constam do inquérito da Polícia Federal que investiga a organização de atos antidemocráticos.

A Globo e o Estadão, em conluio, mostram indignação com a rede bolsonarista que “registrou faturamento em torno de R$ 100 mil mensais, chegando até a R$ 1,7 milhão num período de 10 meses”. Uma ninharia perto do que a velha mídia tunga da nação por meios transversos.

Os jornalões querem a exclusividade das fake news e dos vazamentos exclusivos dos poderes públicos.

Um experiente policial federal afirmou ao Blog do Esmael que isso –a briga mídia corporativa x blogs bolsonaristas– é desavença entre bandidos.

A reportagem da Globo Estadão registra que os canais investigados no inquérito das fake news são ligados ao “gabinete do ódio”, como é conhecida a rede bolsonarista que espalha informações falsas contra opositores do governo.

Resumo da ópera: a velha mídia quer o monopólio dos vazamentos do governo, da disseminação de notícias falsas (fake news) e da verba programática que hoje sustenta os blogs bolsonaristas; Globo e Estadão são concorrentes diretos desses veículos de comunicação alternativos, sejam eles de direita ou esquerda.

Moro é intimado para depor contra Bolsonaro no inquérito das fake news

Jornal Nacional, da Globo, com Moro, lança nova ofensiva por prisões ilegais