Cuba só terá uma moeda oficial a partir de 1º de janeiro de 2021

Compartilhe agora

Peso conversível cubano deixará a circulação monetária da ilha em 2021. Salários, pensões e aposentadorias serão até quintuplicados para movimentar a economia.

A partir de 1º de janeiro de 2021 e até junho do mesmo ano, o peso cubano conversível (CUC) será retirado da circulação monetária de Cuba como parte do processo de unificação monetária e cambial promovido pelo presidente da ilha caribenha, Miguel Díaz-Canel.

“Foram concluídas as correspondentes avaliações e análises, bem como todas as normas legais necessárias, pelo que se considera que foram criadas as condições que permitem anunciar o início da tarefa desde o dia 1º de janeiro de 2021, com uma única taxa de câmbio de 24 pesos cubanos por um dólar”, informou o presidente cubano.

De acordo com a “Tarefa de Ordenação” do Partido Comunista de Cuba (PCC), publicada nesta sexta-feira 10 de dezembro, foi noticiado que “o peso conversível é retirado de circulação no prazo de cento e oitenta (180) dias, contados a partir da unificação monetária e mudaria”.

Segundo o documento, a partir do mês de julho, ele só será aceito para troca em casas de câmbio e agências bancárias do país caribenho.

A dupla moeda surgiu em 1994, no pior momento da crise econômica daquela década na ilha, causada pelo desaparecimento da então União Soviética e do bloco socialista europeu.

O processo de unificação monetária e cambial faz parte da Tarefa de Ordenação, do presidente da ilha, Miguel Díaz-Canel, na companhia do primeiro secretário do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba (PCC), Raúl Castro, durante transmissão especial no rádio e na televisão nacional.

O presidente também alertou que a medida traz riscos, inclusive de inflação “acima do projetado”, devido ao déficit de abastecimento.

Como parte do processo, será aplicada uma única taxa de câmbio de 24 pesos cubanos por um dólar americano.

O PCC argumenta que a complexidade aumenta com os efeitos do bloqueio intensificado pelos EUA, a situação da pandemia da Covid-19, a crise econômica internacional e os impactos que causaram em nossa economia

Cuba aumenta salários, pensões e aposentadorias

Nesta sexta-feira, o Diário Oficial de Cuba afirmou que o governo aplicará um aumento significativo dos salários para compensar o avanço da inflação. O salário mínimo será quintuplicado e passará de 400 para 2.100 pesos cubanos (de US$ 17 para US$ 87).

As pensões e aposentadorias também foram reajustas cinco vezes o atual valor pago pelo Regime Geral de Segurança Social e da Previdência Social, segundo informou o governo cubano.

Lula vai para Cuba virar artista de cinema, mas volta em janeiro de 2021

Caso Bolsonaro: ‘Não era só Cuba que ficava com parte de salário dos funcionários’

Covid-19: Cuba apresenta um novo projeto de vacina que não é injetável

Adeus, Lênin?!