Coalizão do governo obtém maioria nas eleições legislativas na Venezuela com 67,6% dos votos

Compartilhe agora

O Grande Polo Patriótico, aliança de partidos pró-Maduro, ganhou cerca de dois terços dos votos registrados, com 17,95% para a oposição, e um comparecimento total de 31% no momento.

O Grande Polo Patriótico, coalizão de partidos que apoia Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, ganhou a maioria no Parlamento do país com 67,6% dos votos, seguido pela aliança da oposição, Ação Democrática, com 17,95%, anunciou no início da manhã de segunda-feira (7) o Conselho Nacional Eleitoral (CNE), a autoridade eleitoral do país sul-americano.

Para a aliança do Grande Polo Patriótico 3.558.320 votos, uma percentagem de 67,6%, enquanto a aliança AD [de] Copei, El Cambio, AP, ganhou 944.665, com 17,95%”, disse Indira Alfonzo, presidente do CNE.

A aliança VU/PV/VPA obteve 220.502 votos, 4,19% do total; o Partido Comunista da Venezuela recebeu 143.917 votos, correspondente a 2,73%. Outros partidos obtiveram 357.609 votos, 6,79% do total.

Nas eleições legislativas participaram 5.264.104 eleitores, com um comparecimento de 31%.

Estes resultados correspondem a 82,35% dos boletins de urna.

Reação de Nicolás Maduro
“Parabéns ao Grande Polo Patriótico em sua perfeita união, ao Partido Socialista Unido da Venezuela [que faz parte da aliança], a todo o povo que, em um dia como hoje, diante da pandemia, superando as dificuldades de combustível, de sanções, saiu para eleger sua Assembleia Nacional”, proferiu Maduro na segunda-feira (7) na emissora estatal Venezolana de Televisión, descrevendo o evento como uma grande vitória para a democracia e para a Constituição do país.

“Temos uma nova Assembleia Nacional. O povo elegeu seus novos deputados, tivemos uma vitória eleitoral gigantesca”, disse ele.

Maduro reiterou que a atual Assembleia Nacional, na qual a oposição tem maioria, foi responsável pela promoção de golpes de Estado, pedidos de intervenção militar e sanções econômicas.

Maduro afirmou que a Assembleia Nacional eleita “tomará posse” em paz em 5 de janeiro de 2021.

O presidente da Venezuela garantiu que iniciará um novo ciclo da economia, sem que ninguém se intrometa nos assuntos internos do país.

Da Sputnik Brasil

Perdeu, Maia. Perdeu, Alcolumbre. STF proíbe reeleição na Câmara e no Senado

Desafios aos prefeitos e prefeitas eleitos e reeleitos, por Romanelli

Míriam Leitão: governo Bolsonaro é um “risco de vida” para os brasileiros