Capacho da ditadura, Silvio Santos chega aos 90 anos convertido ao bolsonarismo

Os canalhas também envelhecem. O empresário e apresentador Silvio Santos comemora neste sábado (12) noventa anos de idade. Desejamos saúde e vida a esse ícone da televisão brasileira, mas não nos furtaremos de criticá-lo por sua retrógrada postura política.

Batizado como Senor Abravanel, ele nasceu em 12 de dezembro de 1930 no Rio de Janeiro. Adotou o apelido artístico de Silvio Santos pela primeira vez no rádio.

Silvio Santos foi um capacho da ditadura militar, por volta de 1975, condição que lhe garantiu concessões de televisão durante o regime fardado. Seus canais TVS e depois SBT ficaram conhecidos por transmitir desde o governo do ditador João Baptista Figueiredo o oficialista “A Semana do Presidente”.

Recentemente, Silvio Santos se anunciou “bolsonarista” e chegou a pensar em reeditar “A Semana do Presidente” com Jair Bolsonaro.

A situação de subserviência do empresário ao governo rendeu a Silvio Santos um emprego para seu genro, deputado Fábio Faria (PSD-RN), como ministro das Comunicações. É ele quem lida com as concessões públicas de telecomunicações no País.

Sobre o Silvio Santos “apresentador”

O Silvio Santos apresentador é melhor que o Silvio Santos empresário e político.

Com mais de 70 anos de carreira, Silvio Santos coleciona experimentos. Entrou na Rádio Guanabara, passou pela TV Globo e investiu em novos nomes como Gugu Liberato. Também protagonizou situações para lá de divertidas, uma delas com Maisa quando ela era criança e tirou sarro da “peruca do Patrão’’.

Em quarentena devido à covid-19, o apresentador avisou que só voltará a circular depois da vacina contra o vírus, posição que destoa da do presidente Jair Bolsonaro.

Globo mente ao dizer que “pandemia” bagunçou a economia

AI-5: bolsonaristas recuam de manifestações antidemocráticas após investigações no STF

Silvio Santos lavou milhões de reais, diz delator da Lava Jato