Bolsonaro desmente Bolsonaro, que agora jura ter pressa para vacina

Compartilhe agora

O presidente Jair Bolsonaro é o típico biruta de aeroporto, que atua conforme o vento –ou de acordo com os algoritmos. Depois de consultar as hashtags, o mandatário emite sua opinião ou recua delas. Complementarmente, ele também utiliza as pesquisas de opinião.

Bolsonaro não governa o Brasil. A exemplo do camarão, ele deixa a onda levá-lo. Às vezes não sabe onde vai parar. Mas não dirige o País. Essa tarefa “espinhosa” ele delegou aos bancos e aos velhacos que operam no mercado de especulação financeira.

Depois de dizer que não dá bola para a vacinação, ao ser confrontado com o mundo, Bolsonaro disse hoje nas redes sociais que tem pressa na imunização dos brasileiros.

“Temos pressa em obter uma vacina, segura, eficaz e com qualidade, fabricada por laboratórios devidamente certificados. Mas a questão da responsabilidade por reações adversas de suas vacinas é um tema de grande impacto, e que precisa ser muito bem esclarecido”, publicou neste domingo (27) no Facebook.

Mas nada impede que o presidente Bolsonaro se desdiga novamente, como já o fez outras vezes. Isso vai depender dos algoritmos nas redes sociais. Ele usa as mesmas ferramentas do governador de São Paulo, o da “calcinha apertada“, isto é, o tucano João Doria.

Tentando aplacar as críticas, Bolsonaro afirma que não faz pressões pela vacina porque ele poderia ser acusado de interferência e irresponsabilidade.

O mundo inteiro vê Bolsonaro irresponsável justamente por sabotar o plano nacional de vacinação. Essa é a percepção nos EUA ou em Cuba, e mesmo no Brasil.