A mulher de cinco bilhões de reais

Mulher paranaense vai comandar pela segunda vez fundo de investimento de R$ 5,6 bilhões

O Comitê Gestor do FI-FGTS terá a paranaense Suzana Leite pela segunda vez no comando. Em 2018, ela foi a primeira mulher a dirigir o bilionário Fundo.

Suzana Leite vai gerir R$ 5,6 bilhões para financiar projetos na área de infraestrutura no País.

A presidenta do FI-FGTS é representante da UGT (União Geral dos Trabalhadores).

A eleição aconteceu nesta quinta-feira (17/12), em Brasília, cujo mandato será cumprido durante o ano de 2021.

O FI-FGTS tem um comitê formado por 12 membros, de forma tripartite, e neste ano estão disponíveis cerca de R$ 5,6 bilhões para financiar projetos na área de infraestrutura, tais como: rodovias, portos, aeroportos, saneamento, energia e logística.

Suzana Leite, única mulher a presidir o FI-FGTS, desde sua fundação, terá de recursos para investimentos na casa de R$ 5,6 bilhões aportado pelo FGTS conforme resolução nº 987, de 15 de dezembro de 2020:

“Autoriza o reinvestimento de recursos do FI-FGTS, objeto de retorno das operações de investimento e das aplicações das disponibilidades.”

Sobre o FI-FGTS

FI-FGTS é um Fundo de investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, criado por autorização da Lei nº. 11.491, de 20 de junho de 2007, e constituído nos termos disciplinados pela Instrução CVM nº. 462, de 26 de novembro de 2007, e por resoluções do Conselho Curador do FGTS, sob a forma de condomínio aberto, com prazo de duração indeterminado, regido por um Regulamento e pelas disposições legais e regulamentares que lhe forem aplicáveis.

O FI-FGTS é administrado e gerido pela Caixa Econômica Federal.

Embora seja administrado pela Caixa, é o Conselho Curador do FGTS, formado por integrantes do governo, quem autoriza as liberações e os montantes a serem aplicados pelo fundo.

De acordo com a Lei nº 11.491/2007, os recursos do FI são destinados “a investimentos em empreendimentos dos setores de aeroportos, energia, rodovia, ferrovia, hidrovia, porto e saneamento”.

Em 2015, o patrimônio do FI-FGTS somou 31,9 bilhões de reais. O total de investimentos por meio de ações sem cotação em bolsa, debêntures não conversíveis em ações e cotas de fundos de investimentos alcançou 21,65 bilhões de reais.