Vice de Covas, Ricardo Nunes, foge de debate com Luiza Erundina

O candidato a vice-prefeito na chapa de Bruno Covas (PSDB), Ricardo Nunes (MDB), fugiu de debate eleitoral com a candidata a vice na chapa de Guilherme Boulos, Luiza Erundina, ambos do Psol. O debate seria promovido pelo UOL.

Segundo informações divulgadas pelo repórter Leonardo Martins, em sua conta no Twitter, há três dias, o portal tentava marcar o encontro, mas o vereador recusou o convite hoje.

“Há três dias nós, do @UOL, tentamos marcar um debate entre Erundina e Ricardo Nunes. Erundina aceitou.  Hoje, Nunes declinou. ‘Infelizmente, a agenda com os vices não vai ser possível. O Ricardo Nunes está com o tempo tomado, percorrendo bairros, conversando com pessoas’.”

“Infelizmente, a agenda com os vices não vai ser possível. O Ricardo Nunes está com o tempo tomado, percorrendo bairros, conversando com pessoas”, justificou a campanha de Covas.

Um pouco antes, na mesma rede social, a jornalista, escritora e documentarista Eliane Brum publicou uma mensagem com a imagem de Nunes e Erundina, sob os dizeres “exigimos”, acompanhada da #DebatedeVicesSP.

Ao cobrar o debate entre os vices, a deputada federal Sâmia Bomfim (Psol-SP) também questionou “quem tem medo de colocar Ricardo Nunes e Erundina frente a frente?”. “Dos últimos quatro prefeitos de São Paulo, dois assumiram o posto por serem vice. É justo que o eleitor possa conhecer os companheiros de chapa dos postulantes ao cargo”, afirmou a parlamentar.

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) sugeriu à população que “não vote em quem foge de debate! Vice de Covas não encara Erundina”.

O nome do vice foi algumas vezes citado por Covas durante os debates no primeiro turno, quando era questionado por outros candidatos sobre as denúncias envolvendo Nunes. O vice a prefeito é investigado pela Promotoria de Justiça do Patrimônio Público por suspeita de superfaturamento no aluguel de creches para a prefeitura.

Além disso, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, uma empresa de sua família teria recebido R$ 50 mil de creches conveniadas sem licitação. Ele também já foi acusado pela esposa de violência doméstica.

A escolha como vice da chapa seria uma imposição do governador de São Paulo, João Doria, que tem forte influência na campanha de Covas. Católico declarado, Nunes é também um representante da bancada fundamentalista que atua contra pautas de educação e direitos sexuais.

As informações são da Rede Brasil Atual.

Datafolha põe Boulos fungando no cangote de Covas: 58% x 42%

Haddad sobre o 2º turno em SP: ‘Chega de Tucanistão!’

Vídeo: Crivella chama Doria de ‘viado’ e ‘vagabundo’

Compartilhe agora