presidente jair bolsonaro

Rejeição de Bolsonaro cresce em SP, Rio, BH e Recife na reta final das eleições municipais

A rejeição do presidente Jair Bolsonaro voltou a crescer em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Recife, diz pesquisa Datafolha realizada nos dias 9 e 10 de novembro. Em São Paulo, em menos de uma semana, a desaprovação a Bolsonaro só cresce e foi de 48% para 50%, enquanto a aprovação caiu de 25% para 23%. Entre os mais jovens, sua rejeição chega a 66% – dois a cada três brasileiros de 16 a 24 anos.

A rejeição do presidente fez desabar o seu candidato em São Paulo, o apresentador de TV e deputado Celso Russomanno (Republicanos), que caiu de 29% no início da campanha eleitoral para 14%. “Entre os eleitores de Russomanno, a aprovação de Bolsonaro mais que dobra, chegando a 50%, enquanto 27% o acham ruim ou péssimo. Assim, é possível dizer que a aposta do deputado fidelizou eleitores de nicho, mas o afastou do eleitorado mais amplo”, informa o Datafolha.

No Rio, sua aprovação desabou, em pouco dias, seis pontos: era de 34% na semana passada e, agora, está em 28%. A queda de Bolsonaro explica o encolhimento de seu candidato na capital fluminense, o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), que aparece com 14% das intenções de voto. A exemplo de São Paulo, os mais jovens do Rio rejeitam majoritariamente Bolsonaro -, o percentual nessa faixa da população chega a 60%.

LEIA MAIS SOBRE A DERROTA POLíTICA DE BOLSONARO NAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS:

Bolsonaro vai culpar as urnas eletrônicas pela derrota no domingo, diz PT

Eleições 2020 já tem um derrotado: Jair Messias Bolsonaro

Pesquisa Ibope aponta Covas x Boulos no segundo turno de São Paulo

já em Belo Horizonte a rejeição atingiu 38% contra 35% de aprovação. No Recife, a rejeição disparou para 45% e apenas 28% dizem apoiar o governo federal.

As candidaturas de bolsonaristas abrigadas em legendas de partidos direita, como Patriotas, Avante, PRTB -, apresentam pífios desempenhos eleitorais na maioria das capitais do país.

As pesquisas realizadas nesta reta final das eleições apontam para um cenário de enfraquecimento político do bolsonarismo.

Os levantamentos de opinião em São Paulo, Rio, Belo Horizonte e Recife foram feitos sob encomenda da TV Rede Globo e do jornal Folha de São Paulo. A margem de erro é de três pontos percentuais.